sexta-feira, 24 de maio de 2024

Rio Verde

ACIRV reforça nota de repúdio da UNECS contra fala de Lula sobre empresários

POR Thaynara Morais | 23/01/2023
ACIRV reforça nota de repúdio da UNECS contra fala de Lula sobre empresários

Marcelo Camargo/Agência Brasil

A

A União Nacional das Entidades do Comércio e Serviços (UNECS) divulgou uma nota de repúdio à fala do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), de que o empresário “não ganha muito dinheiro porque ele trabalhou, ele ganha muito dinheiro porque os trabalhadores dele trabalharam”. Para o petista, é preciso ter “contrapartida social”.

 

 

A frase foi dita em entrevista exclusiva do presidente ao canal de notícias por assinatura Globo News na última quarta-feira (18).

 

 

A UNECS, em contrapartida, publicou no último sábado (21), uma nota de repúdio, assinada pela Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil afirmando que a união “valoriza enormemente o árduo trabalho da classe empresarial brasileira como um todo, independente do porte ou do número de funcionários de cada estabelecimento, uma vez que, dos empreendedores individuais às grandes organizações, o empresariado representa robusta força institucional e contribui sobremaneira para o fortalecimento da livre iniciativa e para a construção de um país mais justo e próspero”, afirma a nota.

 

 

A nota da Unecs ainda sugere que a fala do presidente “demonstra preconceito e desconhecimento sobre a importância do empresariado”, além de “instigar conflito nas relações entre patrões em empregados, em um contexto no qual a cooperação é fundamental para o sucesso de todas as partes”.

 

 

A equipe do Jornal Somos entrou em contato com a Associação Comercial e Industrial de Rio Verde (Acirv) nesta segunda-feira (23/01), que disse que: “A ACIRV ratifica a Nota de Repúdio emitida pela UNESCS, e assinada pela CACB (Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil), da qual faz parte”.

 

 

 

Confira a nota completa na íntegra:

 

Nota de repúdio à manifestação do presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva sobre o trabalho dos empresários

 

A União Nacional das Entidades do Comércio e Serviços (UNECS) repudia a fala do presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva, que afirmou que o empresário brasileiro “não ganha muito dinheiro porque ele trabalhou; ele ganha muito dinheiro porque os trabalhadores dele trabalharam”. A menção se deu durante entrevista para o canal por assinatura GloboNews, nesta quarta-feira (18).

 

 

Ao congregar as maiores representantes organizadas e de livre adesão do setor, a UNECS valoriza enormemente o árduo trabalho da classe empresarial brasileira como um todo, independente do porte ou do número de funcionários de cada estabelecimento, uma vez que, dos empreendedores individuais às grandes organizações, o empresariado representa robusta força institucional e contribui sobremaneira para o fortalecimento da livre iniciativa e para a construção de um país mais justo e próspero. Assim, entendemos que a fala do presidente da República demonstra preconceito e desconhecimento sobre a importância do empresariado brasileiro. Mais do que isso, instiga o conflito nas relações entre patrões e empregados, em um contexto no qual a cooperação é fundamental para o sucesso de todas as partes.

A UNECS está verdadeiramente empenhada para o estabelecimento de uma excelente relação com o novo governo, mas não pode admitir que o esforço e o trabalho de cada empresário brasileiro não seja reconhecido em sua integralidade. Trabalhamos arduamente em favor do desenvolvimento deste país e contribuímos significativamente pela geração de emprego e de renda tão necessários sobretudo no período pós-pandemia.

 

 

Entretanto, a UNECS acredita que não é possível admitir que o principal líder do país estimule a desavença e a desarmonia entre empregados e patrões. Ao contrário, de um governo eleito e com uma proposta de diálogo, esperase que questões tão fundamentais como essas não sejam generalizadas, mas que sejam tratadas como se deve – em mesas de negociação. Subscrevem esse documento os presidentes das entidades que integram o Instituto UNECS: José César da Costa, Presidente UNECS e da CNDL – Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas; Leonardo Miguel Severini, Presidente da ABAD – Associação Brasileira de Atacadistas e Distribuidores; João Carlos Galassi, Presidente da ABRAS – Associação Brasileira de Supermercados; Paulo Solmucci, Presidente da ABRASEL – Associação Brasileira de Bares e Restaurantes; Paulo Eduardo Guimarães, Presidente da AFRAC – Associação Brasileira de Automação para o Comércio; Alfredo Cotait Neto, Presidente da CACB – Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil; Geraldo Defalco, Presidente da ANAMACO – Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção. Sobre a UNECS A UNECS congrega as maiores representantes organizadas e de livre adesão do setor, presentes em todo o território nacional. Tem como objetivo primordial defender os interesses dos setores de comércio e serviços, contribuindo para o debate, para o intercâmbio de ideias e para o fortalecimento dos segmentos que, juntos, representam 73,31% do PIB do setor. Detentor de 57% dos postos de trabalho no Brasil, comércio e serviços se configuram como maiores geradores de empregos e de renda do país, oferecendo oportunidades a todos os brasileiros, desde o ingresso ao mercado de trabalho com o primeiro emprego. Além disso, o setor conta 77% dos estabelecimentos ativos no país, por meio dos quais se relaciona com cerca de 190 milhões de cidadãos brasileiros.

 

 

Perante os órgãos governamentais, o Congresso Nacional, a indústria e toda a sociedade, a UNECS é a voz do setor, representando-o em pleitos tributários, trabalhistas, econômicos, de infraestrutura, de empreendedorismo e outros, buscando não apenas a melhoria do ambiente de negócios no país, mas também a eficiência e a competitividade para toda a cadeia nacional de abastecimento. As lideranças que fazem parte da UNECS são expressivas formadoras de opinião e defendem, por meio da entidade, os interesses dos empresários do país, representando os responsáveis por 65% das operações de crédito e débito e pela geração de 27 milhões de empregos diretos.

 

Jornal Somos

Jornal Somos

Jornal online com a missão de produzir jornalismo sério, com credibilidade e informação atualizada, da cidade de Rio Verde e região.

COMPARTILHE: