segunda-feira, 27 de maio de 2024

Goiás

Mulheres se destacam entre os gamers e geram polêmica

POR Jornal Somos | 02/07/2019
Mulheres se destacam entre os gamers e geram polêmica
E

Elas compõem 53% do público gamer no país e estão cada vez mais se profissionalizando nos e-sports.

 

A participação feminina no mundo dos esportes tem ganhado atenção, tanto de patrocinadores quanto da torcida, como pudemos notar recentemente a emoção em torno das conquistas da seleção brasileira de futebol feminino.

 

Seja no campo, na quadra, ou no comando de um controle de videogame, as mulheres vieram para ficar! Sim, o público feminino está cada vez mais presente no esporte como um todo, inclusive nos chamados e-sports.

 

De acordo com dados recentemente divulgados pela Pesquisa Games Brasil 2019, 53% do público gamer (termo usado para definir alguém que joga videogames) no país é formado por mulheres.

 

Os dados foram angariados pela Sioux Group, Blend e ESPM. O relatório aponta que cerca de 37,7% dos gamers brasileiros têm entre 25 e 54 anos de idade, contrariando o senso comum de que todos os jogadores são adolescentes. Tendo as principais plataformas de uso os smartphones (83,5%), videogame (48,5%), notebook (42,6%), computador (42,4%) e tablet (19,6%).

 

Ainda de acordo com a pesquisa previamente citada, o público feminino tem uma preferência por PCs e videogames, mas dominam o consumo de jogos nos smartphones. Esse segmento denominado "Gamer Casual" costuma jogar até três vezes por semana em sessões de até 3 horas, onde 4 a cada 10 dessas jogadoras admitem que games são sua forma preferida de  entretenimento  e  preferem baixar jogos gratuitos.

 

Para Anna Rytta, apresentadora do UP EXPO GAMES, a maior feira do segmento na região Centro Oeste, o universo criado pela cultura geek e gamer resultou em personagens, consoles e até mesmo uma profissionalização que têm chamado a atenção das mulheres.

 

Apesar de serem maioria, no setor competitivo de games as mulheres ainda estão lutando por espaço. A participação feminina nesta cena tem mostrado mais como a mulher recebe um tratamento hostil de gamers masculinos. Natália Paixão, gamer amadora, contou em entrevista a Folha de S. Paulo que costuma usar nomes neutros ou masculinos para evitar assédios e agressões.

 

Natália, que é fã de jogos FPS (de tiro em primeira pessoa) conta que muitas vezes durante uma partida, quando os outros jogadores percebem que há uma mulher jogando começam conversas de teor sexual, criticam seu desempenho nos jogos e alguns até perdem a partida de propósito para dizer que foi culpa da mulher.

 

Em 2018 a Razer, empresa de produtos para computadores, tentou lançar uma linha direcionada especialmente às gamers: itens todos em cor-de-rosa. Não agradou muito. Natália Paixão considerou a promoção como se a empresa não levasse suas consumidoras a sério, “em quatro anos sendo as que mais jogam, a única coisa que a Razer fez foi lançar conjuntos cor-de-rosa”, disse à Folha.

 

No fim do mês de junho, Gabriela Catuzzo, streamer (jogadora que transmite partidas ao vivo) perdeu seu contrato com a Razer após responder a um assédio que recebeu no Twitter.

 

Gabi, como é conhecida na Internet, publicou uma foto com legenda cômica em sua conta e recebeu um comentário de teor sexual. Ela respondeu dizendo que homens sempre sexualizam mulheres em qualquer situação e disse “homem é lixo”. Outros internautas comentaram nas publicações dizendo que Gabi estava errada em generalizar.

 

A discussão foi polêmica, e em seguida a Razer publicou uma nota dizendo que não renovaria o contrato de Gabi.

 

 

Up Expo Game

 

Apesar disso, as garotas não desistiram! Por isso, a Up Expo Game planeja oferecer um ambiente acolhedor e amigável às meninas que se interessam por este tipo de entretenimento. O evento terá em sua programação uma imersão no mundo dos jogos virtuais, como campeonatos de jogos eletrônicos, concurso de cosplay, arena arcade, museu de jogos –que terá em seu acervo consoles antigos até os mais atuais –, área kids, Just Dance, salas temáticas, palestras, e muito mais.

 

As premiações serão tanto em brindes exclusivos como também, em algumas modalidades, em dinheiro onde os vencedores podem ganhar até R$ 7 mil.

 

Networking, profissionalização, interação e visibilidade são alguns dos principais motes defendidos pela organização. "Um evento deste porte abre muitas portas mundo afora pra quem realmente sonha em seguir essa carreira. A Up Expo Game é um espelho para muitos competidores serem vistos pelo público e investidores, fazerem networking e mostrarem os talentos nos jogos", conclui Anna Rytta.

 

A Up Expo Game será realizada nos dias 6 e 7 de julho, em Goiânia. O local escolhido para receber a maior feira gamer do Centro-Oeste foi o Centro Cultural Oscar Niemeyer. Os ingressos para o evento já estão à venda e contam com diferentes benefícios.

 

O ingresso comum dá acesso somente à feira, enquanto o ingresso VIP contém uma pulseira para identificação, entrada exclusiva e fila especial para acesso aos jogos, brinquedos e sessão de autógrafos. O ingresso premium tem todos os benefícios do VIP e um  camarote  especial  na  frente  do  palco  principal  para  assistir  as partidas.

 

Os ingressos estão à venda no site MeuBilhete, e os  preços variam de R$25 até R$180,00.

 

Jornal Somos

Jornal Somos

Jornal online com a missão de produzir jornalismo sério, com credibilidade e informação atualizada, da cidade de Rio Verde e região.

COMPARTILHE: