Política

Audiência Púbica da Enel lota Câmara, mas deixa insatisfeitos em Rio Verde

POR Jornal Somos | 21/05/2019
img/noticias/Audiência Púbica da Enel lota Câmara, mas deixa insatisfeitos em Rio Verde

Foto: Jornal Somos

A

A audiência pública, proposta pelo deputado estadual Chico KGL, membro da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Enel, aconteceu ontem (20) e contou com a presença dos deputados que são membros componentes da CPI, do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (Seção Goiás), Lúcio Flávio de Paiva, advogado da Enel Goiás, e duas funcionárias representantes da empresa. Além dos deputados, estavam presentes também produtores rurais, vereadores e representantes da sociedade.

 

Com a proposta de tentar solucionar e levar os apontamentos dos consumidores para a empresa, a reunião estava cheia.  Na audiência, foram apresentadas várias reclamações sobre falhas no fornecimento de energia elétrica, que tem causado diversos prejuízos às empresas, produtores rurais e população da região Sudoeste do Estado.

 

Em entrevista ao SOMOS, Chico falou sobre a necessidade da CPI.

 

“Não é justo pagarmos um preço alto e não recebermos um serviço de qualidade. Nós ouviremos os empresários e a sociedade e vamos levar até a Enel para que possa estar solucionando. Nós não queremos chegar ao ponto de pedir o cancelamento desse contrato com a empresa, então faremos o que for possível para solucionar esses problemas”.

A sessão foi conduzida pelo deputado Chico KGL (DEM), cujo debate contou com a participação do presidente da Assembleia Legislativa, Lissauer Vieira (PSB), e dos deputados Alysson Lima (PRB), Rafael Gouveia (DC), Cairo Salim (Pros) e Karlos Cabral (PDT).

 

O deputado Cairo Salim relembrou sobre a privatização da companhia, para que melhorasse o serviço de energia e também falou sobre o tamanho da empresa.

 

Entre as diversas opiniões, a população reclamou de prejuízos sofridos tanto na zona urbana quanto na zona rural, afetando principalmente aquele que e também o comércio local. Os impactos negativos estão sendo percebidos, sobretudo, na produção leiteira.

O Presidente da COPERCARNE, Julio, falou sobre a frustração e o aumento dos valores.

“Se eu terminar a minha obra da cooperativa, não posso inaugurar, porque não tenho energia. Pago excesso de energia todos os meses e multa, mas quem paga a conta? Nós estamos numa situação de desleixo. Com o valor que a Enel cobra de nós, qualquer empresa administra o estado”.

 

Representando o setor granjeiro, o jovem Matheus deixou sugestões na reunião.

“Com graves problemas e perdas, em 2018, os nossos prejuízos foram de mais de 115 milhões de reais. Esperamos tirar do papel essas reivindicações, pois possuímos períodos maiores de 48 horas sem abastecimento e o que precisamos é de um sistema de gestão melhor. A nossa sugestão é que seja feita uma reunião técnica, e não só com a presença de advogados”.

 

Representantes da Cooperativa dos produtores de leite também se manisfestaram insatisfeitos com a situação.

“Com a falta recente da energia na área urbana, nós produtores rurais perdemos rebanhos, patrimônios e condições de trabalhar. Por falta de ação, de atitude, nós enfrentamos um problema mais sério. Nós passamos a fazer seguro, que hoje, está muito mais caro porque as seguradoras não querem mais nos proteger devido à quantidade de problemas advindos da falta de energia. Hoje não tem como ampliar nada na propriedade rural, é muito difícil”, ressaltou.

 

O advogado da Enel afirmou que a empresa está cumprindo todas as cláusulas previstas, tanto no contrato de compra e venda da Celg quanto no de concessão pública realizado junto a Aneel. Lúcio Flávio citou as dificuldades enfrentadas pela companhia italiana, “entendo a insatisfação dos consumidores, mas não podemos resolver 20 anos de uma má gestão de uma empresa estatal com apenas dois anos de operação”.

Lucio complementou afirmando os investimentos da empresa.

“A empresa já fez investimentos de mais de 1,5 bilhões de reais, isso é três vezes mais do que o estado investia. A CPI da Enel está fazendo o seu papel de investigar, mas a empresa está fazendo o que pode”.

 

Os vereadores, deputados e população presente se mostraram insatisfeitos com o resultado da CPI.

 “A CPI continuará buscando soluções para o problema da população, não podemos deixar como está”, reafirmou Chico.

Jornal Somos

Jornal Somos

Jornal online com a missão de produzir jornalismo sério, com credibilidade e informação atualizada, da cidade de Rio Verde e região.

COMPARTILHE:

INSCREVA-SE

Cadastre seu e-mail e fique por dentro de todas as notícias do Brasil e do mundo com publicações realizadas pelos melhores jornalistas do Brasil. A plataforma inteligente do Jornal SOMOS oferece o melhor do conteúdo jornalístico exclusivo para você.

ENVIAR
Obrigado por se inscrever em nosso site. Aguarde novidades!
Jornal Somos
ACOMPANHE AS NOSSAS REDES